Apple supera previsões com forte resultado trimestral

quarta-feira, 20 de abril de 2011 19:51 BRT
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - A Apple reportou resultados que superaram de longe as expectativas de Wall Street, alimentados pela sólida demanda por celulares iPhone e computadores Mac.

As margens brutas no segundo trimestre fiscal ficaram em 41,4 por cento, mais que a previsão média de Wall Street, de 39,03 por cento.

A Apple divulgou lucro líquido trimestral de 5,99 bilhões de dólares, ou 6,40 dólares por ação, enquanto a receita disparou 83 por cento, para 24,67 bilhões de dólares. O mercado previa lucro de 5,37 dólares por ação e receita de 23,4 bilhões de dólares.

Os resultados da Apple foram divulgados ao mesmo tempo em que a empresa se prepara para fabricar seu próximo modelo de iPhone com um processador mais rápido, que começará a ser distribuído em setembro, de acordo com três pessoas com conhecimento direto sobre a cadeia de suprimentos da empresa.

A Apple, que geralmente oferece projeções muito conservadoras, disse esperar lucro de 5,03 dólares por ação e receita de 23 bilhões de dólares para o trimestre fiscal que termina em junho.

Os fortes resultados vieram em meio à preocupação de investidores sobre como dificuldades no fornecimento de componentes após o terremoto e tsunami que se abateram sobre o Japão vão reduzir as margens da empresa e frear as vendas de iPhones e iPads.

A Apple vendeu 4,69 milhões de iPads no trimestre, pouco menos que as estimativas de Wall Street. Alguns analistas haviam projetado vendas próximas ou até superiores a 6 milhões de unidades do tablet, que teve nova versão lançada em 11 de março nos Estados Unidos.

Uma forte alta nas vendas de computadores Mac, liderada pelo renovado MacBook Pro, ajudou a elevar o lucro do trimestre fechado em março. A Apple disse que vendeu 3,76 milhões de Macs, salto de 28 por cento contra um ano antes.

A companhia também vendeu 18,65 milhões de iPhones, principal linha de produtos da empresa e com alta margem de lucro.

(Reportagem de Poornima Gupta)

 
<p>Funcion&aacute;rio da Apple faz demonstra&ccedil;&atilde;o do iPhone 4 em Nova York, em 11 de janeiro de 2011. A receita da Apple saltou 83 por cento devido &agrave; forte demanda pelo iPhone e pelos computadores Mac. 11/04/2011 REUTERS/Brendan McDermid</p>