Huawei e ZTE vão mudar mercado de videoconferência--consultoria

quinta-feira, 5 de maio de 2011 15:00 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - Os serviços de videoconferência desenvolvidos por Huawei e ZTE mudarão o mercado nos próximos anos da mesma forma que empresas chinesas transformaram o setor de equipamentos para telecomunicações, afirmou a companhia de pesquisas Ovum, nesta terça-feira.

A Ovum prevê que os gastos corporativos com videoconferências cresçam cerca de 6 por cento anualmente até 2016, quando o mercado global destes serviços valerá 3,8 bilhões de dólares.

Mas o crescimento será contido por quedas nos preços e pela troca de computadores por aparelhos dedicados a videoconferências, prevê a empresa.

O mercado de equipamento para videoconferências atualmente é dominado pelas norte-americanas Cisco e Polycom, mas a Ovum afirmou que Huawei e ZTE, ambas com pequena participação no momento, devem ter um impacto grande no mercado dentro de dois a quatro anos.

"Esperamos que elas causem uma quantidade grande de mudanças", afirmou o analista Richard Thurston, da Ovum.

Huawei e ZTE, juntas, conquistaram uma fatia de 30 por cento no mercado global de aparelhos de telecomunicações em poucos anos por meio de preços agressivos que tiraram empresas como Nortel e Motorola do negócio.

Segundo a Ovum, algumas partes do mercado de videoconferências devem ter crescimento ainda maior: 19 por cento ao ano para ofertas top de linha, como salas de telepresença ao custo de 300 mil dólares cada, e 11,3 por cento de expansão para os serviços gerenciados.