Batalha legal da Microsoft termina e empresa quer Google na mira

quinta-feira, 12 de maio de 2011 15:33 BRT
 

Por Diane Bartz

WASHINGTON (Reuters) - A Microsoft era um gigante enfrentando rivais minúsculos em 1998, quando o Departamento da Justiça dos Estados Unidos a acusou de violação das leis de defesa da concorrência.

Nos 13 anos que transcorreram desde que o processo começou, a Apple cresceu de uma fatia pequena do mercado de computadores pessoais para o domínio do mercado mundial de mídia, com o iPhone e o iPad.

Em 1998, o Google mal existia. Agora, domina o mercado de publicidade vinculada a buscas.

A Microsoft continua a ser um titã da tecnologia com o Windows e o Office, mas deixou de ser um monopólio temido ou uma companhia na vanguarda da inovação.

E agora que ficou escolada em legislação antitruste, a Microsoft quer que o Google se torne o próximo alvo das autoridades regulatórias.

A disputa judicial envolvendo a Microsoft, que durante um bom tempo exigiu atenção de seus principais executivos em um período em que eles poderiam ter sido mais criativos, terminou nesta quinta-feira, quanto a supervisão judicial sobre as operações da companhia expirou quase sem alarde.

A decisão de permitir que o fim da supervisão foi tomada no mês passado pela juíza Colleen Kollar-Kotelly, da justiça federal norte-americana, em Washington.

A Microsoft já estava concorrendo com novos rivais no começo dos anos de 1990 quando o Departamento da Justiça acusou a empresa de insistir para que todos os PCs vendidos com Windows fossem equipados com o navegador Internet Explorer em vez do Netscape Navigator.   Continuação...