LG Display e Samsung veem recuperação no mercado de painéis LCD

quarta-feira, 18 de maio de 2011 20:34 BRT
 

Por Miyoung Kim

SEUL (Reuters) - A Samsung e a LG Display, as duas maiores fabricantes de televisores de tela plana, esperam que o mercado de painéis de LCD, atualmente em declínio, comece a se recuperar com uma demanda maior na China e o lançamento de novos modelos.

Fabricantes globais de painéis de LCD esperam que a China, cujo mercado de televisores deve se tornar o maior do mundo neste ano, impulsione o setor de painéis de tela plana após um ciclo de declínio que já dura um ano e começou quando altos estoques empurraram os preços para baixo.

A demanda europeia está hesitante devido à crise da dívida na região, e os consumidores dos Estados Unidos mostram poucos sinais de que aumentarão significativamente seus gastos em itens com preços mais altos.

"Vemos o mercado de LCDs apertado e os estoques voltando a ficarem baixos no segundo semestre", disse Kevin Choi, diretor de vendas de televisores e marketing na LG Display, durante o Reuters Technology Summit em Seul na quarta-feira.

"Os preços (de painéis para televisores) apenas começaram a aumentar e continuarão crescendo de forma estável no segundo semestre, pois agora os estoques globais retornaram a níveis históricos normais e a demanda por TVs tende a voltar a crescer no quarto trimestre", disse Choi.

Após perderem um terço de seu valor no ano passado, os preços de painéis para televisores estão finalmente dando sinais de recuperação. Preços de painéis de 40 e 42 polegadas aumentaram 1 por cento desde o fim de abril, mostraram dados do setor.

Em entrevistas à Reuters nessa semana, Choi, da LG Display, e o diretor da divisão de painéis de LCD da Samsung se mostraram otimistas quanto às previsões para o setor que reportou amplas perdas no primeiro trimestre.

"Não haverá mais queda nos preços de venda e os lucros irão melhorar com as taxas de capacidade de produção aumentando, custos caindo e a demanda mostrando melhoras", disse o presidente da divisão de LCDs da Samsung, Chang Wonkie, à Reuters na segunda-feira.