Japonesa Ricoh vai cortar 10 mil empregos

quinta-feira, 26 de maio de 2011 09:25 BRT
 

Por Mayumi Negishi

TÓQUIO (Reuters) - A fabricante de copiadoras e impressoras Ricoh vai cortar quase 10 por cento de sua força de trabalho para tentar impulsionar o lucro em uma decisão que mostra que as companhias japonesas de baixa performance estão ampliando esforços para competir com rivais globais.

A Ricoh anunciou que a reestruturação inclui cortes de 10 mil empregos na força de trabalho mundial de 109 mil pessoas, além de redução de produtos não lucrativos e consolidação de fábricas.

A já fraca economia japonesa caiu em recessão após o impacto dos terremotos de março que foram seguidos de tsunami e um desastre nuclear.

"O terremoto eliminou qualquer complacência nas companhias japonesas que estavam atrás da curva em termos de reestruturação e fusões e aquisições", disse o estrategista Peter Eadon-Clarke, do Macquarie.

"O terremoto lembrou as pessoas sobre as oportunidades limitadas em casa e da necessidade de se erguer operações globais de sucesso", acrescentou.

No mês passado, a Panasonic anunciou que vai cortar 17 mil empregos e fechar cerca de 70 fábricas no mundo. A Olympus também divulgou planos de redução de pessoal.

A Ricoh planeja ter lucro operacional de 210 bilhões de ienes no ano financeiro que se encerra em março de 2014, mais que o triplo dos 60 bilhões de ienes registrados no ano passado, quando as vendas caíram 4 por cento.

Nos últimos dez anos, as ações da Ricoh perderam dois terços de seu valor, enquanto a Canon registra valorização de 15 por cento e a Xerox, de 3 por cento. No ano até agora, a Ricoh acumula queda de 26 por cento, enquanto a bolsa de Tóquio teve perda de 7 por cento.   Continuação...