Sprint pede bloqueio da compra da T-Mobile USA pela AT&T

terça-feira, 31 de maio de 2011 19:47 BRT
 

Por Sinead Carew e Diane Bartz

NOVA YORK/WASHINGTON (Reuters) - A operadora móvel Sprint Nextel fez um pedido formal para que órgãos reguladores dos Estados Unidos bloqueiem a proposta de 39 bilhões de dólares feita pela AT&T para compra da T-Mobile USA, afirmando que o acordo "não traz benefícios de interesse público" e trará danos à competição mesmo se forem impostas condições.

A Sprint --maior oponente declarada do acordo, que criaria uma nova líder no mercado de serviços sem fio dos EUA-- afirmou que mesmo que a Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês) force a AT&T a vender ativos como uma condição para aprovação do negócio, isso não seria suficiente.

"A transação proposta não produziria benefícios públicos tangíveis e representaria sérios danos à competição que não podem ser remediados por alienações de ativos ou condições", afirmou a Sprint nesta terça-feira, a data limite para manifestações iniciais sobre a oferta da AT&T pela T-Mobile USA para a FCC.

A Sprint reclamou no documento de que o acordo criaria um efetivo duopólio no mercado, pois a participação de mercado da AT&T seria elevada de 32 para 44 por cento. A Verizon Wireless seria a segunda maior com 35 por cento, seguida pela Sprint, cujo market share estimado é de 15 por cento.

Por outro lado, a AT&T afirmou em um comunicado na terça-feira que tem o apoio de grupos, incluindo "comunidade, entidades civis e organizações minoritárias", assim como de 13 governadores. O acordo necessita da aprovação da FCC e do Departamento de Justiça dos EUA.