Facebook e cerveja não se misturam, afirma regulador dos EUA

quarta-feira, 8 de junho de 2011 17:20 BRT
 

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - Foi uma tentativa de aquisição que não deu certo.

Dois executivos que estavam usando o Facebook e o Twitter a fim de encontrar investidores receberam a ordem da Securities and Exchange Commission (SEC) dos Estados Unidos de nunca mais fazer nada semelhante. Eles pretendiam coletar dinheiro para uma proposta de aquisição de 300 milhões de dólares pela fabricante da cerveja Pabst Brewing.

O órgão regulador afirmou que Brian William Flatow e Michael Migliozzi não registraram suas intenções junto às autoridades regulatórias e não fizeram os anúncios necessários antes de direcionar investidores para o seu site, o BuyaBeerCompany.com.

De acordo com a SEC, os homens lançaram seu site em novembro de 2009, prometendo dar às pessoas que quisessem investir na fabricante das cervejas Pabst Blue Ribbon e Old Milwaukee certificados de posse e "cervejas no valor equivalente à quantia investida".

Em fevereiro de 2010, os homens afirmaram ter levantado mais de 200 milhões de dólares por meio de 5 milhões de propostas de investimento gravadas em um "relógio de contagem regressiva" em seu site, afirmou a SEC.

A atividade continuou até o site ser fechado em abril de 2010. No fim, Flatow e Migliozzi não recolheram dinheiro algum e, sem admitirem terem feito algo errado, concordaram com uma decisão exigindo que eles não iniciassem atividades similares novamente.

"Investidores têm o direito de saber algumas informações básicas sobre uma empresa antes de receberem propostas de investimentos", disse Scott Friestad, diretor associado da SEC em comunicado.

"Só porque potenciais investidores recebem convites para investir online não significa que eles mereçam menor proteção das nossas leis de segurança".

Flatow, de 41 anos, vive em Connecticut e presidiu a agência de marketing The Ad Store, afirmou a SEC. Migliozzi, com 45 anos de idade, mora na Califórnia, e era proprietário da Forza Migliozzi, também uma agência de marketing, acrescentou o regulador.