ENTREVISTA-Telebrás busca parcerias e pode considerar novo sócio

quarta-feira, 22 de junho de 2011 15:27 BRT
 

Por Sérgio Spagnuolo

SÃO PAULO (Reuters) - Prestes a iniciar suas operações de venda de banda larga e com o desafio de promover a inclusão digital no Brasil nos próximos três anos, a Telebrás está ativamente em busca de parcerias e pode, inclusive, considerar a entrada de um novo sócio em seu capital, afirmou o presidente da estatal nesta quarta-feira.

Se concretizadas, estas medidas fortalecerão a rede e o capital da companhia, visando cumprir a meta do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) de alcançar domicílios em todo o país até 2014.

"Até o final de novembro ou meados de dezembro queremos ter o backbone (rede principal) do Nordeste e do Sudeste já operacional, com possibilidade de atender mais de 1.000 municípios", disse Caio Bonilha, presidente da Telebrás, em entrevista à Reuters

Para isso, contudo, a companhia conta apenas com um reduzido quadro de funcionários (cerca de 200) e um "orçamento limitado" de 350 milhões de reais --como afirmou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, em um evento na semana passada em São Paulo-- e deve buscar o auxílio de parcerias para avançar com o plano.

"Em um primeiro momento, o financiamento é feito pelo Tesouro, mas buscamos parceiros em projetos especiais, como para ampliar o atendimento com fibra ótica", disse Bonilha.

"Não está descartado que novos sócios entrem na Telebrás, embora não seja prioridade no momento", completou o executivo, acrescentando que neste caso o governo manteria o controle.

Atualmente, o governo federal possui mais de 70 por cento do capital total da companhia.

Segundo Bonilha, a Telebrás ainda não estuda a possibilidade de emitir ações para financiar investimentos. "Estamos focados na primeira fase (do PNBL) de instalação de infraestrutura".   Continuação...