Polícia britânica acusa adolescente de ataques hackers

quarta-feira, 22 de junho de 2011 16:57 BRT
 

WICKFORD, Grã-Bretanha (Reuters) - A polícia britânica afirmou nesta quarta-feira ter acusado um adolescente de lançar uma série de ataques pela Internet contra uma agência da polícia britânica e a duas empresas conhecidas da indústria musical britânica.

Ryan Cleary, de 19 anos, foi alvo, anteriormente, de uma investigação conjunta com o norte-americano FBI sobre recentes ataques a sites de instituições de alto nível.

A polícia de Londres afirmou em comunicado que Cleary é acusado de atacar um site da Serious Organised Crime Agency (Soca), que combate o crime organizado na Grã-Bretanha e no exterior.

Cleary, de Wickford, uma calma cidade suburbana a nordeste de Londres, deve comparecer a um tribunal londrino na quinta-feira sob acusação de cinco crimes.

A afastada casa na qual ele vive estava com todas as cortinas fechadas e uma placa na porta na qual se lê: "A quem interessar, por favor não bata à porta para uma entrevista pois não posso comentar o assunto".

O comissário da polícia metropolitana de Londres Paul Stephenson descreveu a detenção como "muito significante" no contexto da caça global de um grupo suspeito de atingir companhias e forças da polícia. Ele não deu mais detalhes.

No entanto, um grupo que assumiu a responsabilidade por ataques à CIA, à Soca e à Sony negou que o adolescente seja líder do movimento.

O grupo de hackers Lulz Security se distanciou de Clearly e negou sugestões de que ele seja líder do grupo.

"Claramente, a polícia britânica está tão desesperada para nos capturar que prendeu alguém que, no máximo, tem pouca conexão conosco. Uma falha", disse o grupo em sua conta no Twitter.

"Ryan Clearly não é parte do LulzSecurity; nós hospedamos um de nossas muitas legítimas salas de chat em seu servidor, mas isso é tudo".

(Reportagem adicional de Stefano Ambrogi, Michael Holden e William Maclean)