Entrada da TIM no Novo Mercado reforça plano de longo prazo--CEO

quarta-feira, 22 de junho de 2011 18:24 BRT
 

Por Sérgio Spagnuolo

SÃO PAULO (Reuters) - A entrada da TIM Participações no Novo Mercado da BM&FBovespa, no próximo mês, reforça a estratégia de longo prazo da companhia no país, disse à Reuters o diretor-presidente da companhia, Luca Luciani.

Nesta quarta-feira, os acionistas minoritários da TIM aprovaram por unanimidade, durante assembléia no Rio de Janeiro, a ascensão da empresa ao mais alto nível de governança corporativa da bolsa, que resultará na conversão das ações preferenciais da companhia em ações ordinárias, informou a companhia.

O anúncio da conversão das ações e da entrada no Novo Mercado foi anunciado em 5 de maio, e no dia seguinte as ações preferenciais subiram quase 8 por cento.

Nesta quarta-feira, os papéis fecharam em alta de 0,35 por cento, a 8,70 reais, enquanto o Ibovespa recuou 0,37 por cento.

"Com certeza o ponto numero um disso (da entrada no Novo Mercado) é a serenidade de um plano estratégico de longo prazo, vindo de uma companhia que sofreu com rumores sobre a possibilidade de venda, mas se fortaleceu", disse Lucini nesta quarta-feira.

"O potencial de tag along com todos os acionistas é incompatível com a hipótese de venda no curto prazo", afirmou.

O plano de entrar neste novo mercado, segundo o executivo, tem "a intenção de acrescer o valor das ações, aumentando a liquidez e oferecendo um nível de governança superior".

Cada ação preferencial será convertida em 0,8406 ação ordinária, valor que reflete a média ponderada dos preços de mercado de ambos os tipos de papéis no 60 dias anteriores a 5 de maio.   Continuação...