Tencent quer se tornar Facebook, Twitter e Google da China

segunda-feira, 27 de junho de 2011 11:36 BRT
 

Por Lee Chyen Yee

HONG KONG (Reuters) - A Tencent Holdings, terceira maior companhia de Internet do mundo, quer ser o equivalente ao Facebook, ao Twitter e ao Google --todos eles ao mesmo tempo-- na China.

Embora o valor de mercado da empresa tenha quadruplicado, para 50 bilhões de dólares, nos últimos 30 meses, o crescimento do faturamento e do lucro deve desacelerar nos próximos anos, o que forçará a companhia a repensar seu futuro.

A Tencent está se diversificando agressivamente para além do competitivo segmento de jogos online, ingressando nos nas áreas de redes sociais, comércio eletrônico e serviços de buscas para celulares na China.

A empresa, entretanto, enfrenta riscos como administrar o relacionamento com parceiros, enfrentar regulamentação governamental de seu conteúdo e a forte concorrência de rivais como Baidu, SINA e Alibaba.com.

"A Tencent precisa sair em busca de novas minas de ouro a fim de combater a desaceleração no segmento de jogos online. De outra forma, não conseguirá manter o forte crescimento registrado nos últimos anos," disse Hover Xiao, analista do grupo de pesquisa de tecnologia IDC.

A Tencent opera o maior serviço de mensagens instantâneas e comunidade de jogos online na China, o QQ, com 674 milhões de usuários, sendo que os jogos online responderam por cerca de 60 por cento de seu faturamento, que totalizou 19,6 bilhões de iuans (3 bilhões de dólares) em 2010.

Este mês, a Tencent abriu o acesso à sua plataforma antes exclusiva e lançou a Q+, um sistema aberto defendido pelo Facebook e Apple com o objetivo de atrair criadores externos de programas, para conquistar mais usuários e ampliar receita.

Com esse lançamento, a Tencent pode permitir que programadores externos comercializem seus produtos junto às legiões de usuários do QQ, por meio de um esquema de divisão de receita.   Continuação...