JP Morgan e BofA Merrill recomendam ações do LinkedIn

terça-feira, 28 de junho de 2011 15:52 BRT
 

(Reuters) - A popularidade das redes sociais e o uso crescente da Internet por empresas para recrutamento estimularão o crescimento do LinkedIn nos próximos anos, afirmaram duas corretoras, que iniciaram sua cobertura das ações da empresa conferindo a ela suas melhores recomendações.

O banco JP Morgan afirmou que a rede social para profissionais oferece recrutamento empresarial por assinatura, publicidade online e assinaturas pessoais premium, o que a prepara para conquistar mercado tanto na publicidade quanto nos serviços de recursos humanos.

O banco recomendou as ações de LinkedIn e ofereceu estimativa de valor de 85 dólares para elas, e afirmou que a companhia tinha alcance amplo nas corporações por facilitar a interação entre potenciais empregadores e empregados, o que altera o aspecto dos mercados de recrutamento de pessoal online e físicos.

As ações do LinkedIn mais que dobraram depois de lançadas em bolsa no mês passado, o que serviu como teste público do apetite de investidores por companhias de mídia social tais como o Facebook, Groupon e Twitter, que devem abrir seu capital nos próximos meses.

"Como o Facebook está fazendo nas redes sociais, o LinkedIn está mapeando o terreno nas redes profissionais", afirmou o JP Morgan em nota aos clientes.

A corretora BofA Merrill apresentou sua primeira recomendação para as ações, e recomendou compra, afirmando que antecipa que o LinkedIn apresente fortes resultados no segundo trimestre, com efeitos benéficos da oferta pública inicial sobre sua receita e número de assinantes. A corretora estimou valor de 92 dólares para as ações do grupo.

As duas companhias apontaram para os investimentos agressivos do LinkedIn em sua equipe de vendas, nos Estados Unidos e no exterior, bem como no desenvolvimento de produtos.

"Também acreditamos que o LinkedIn ofereça valor por escassez, de duas maneiras: é uma das poucas empresas de capital aberto com recursos de rede social, e menos de 10 por cento de seu total de ações estão em circulação", afirmou o JP Morgan.

Na tarde desta terça-feira as ações do LinkedIn operavam em alta de 11,9 por cento, para 85,50 dólares.

(Reportagem de Siddharth Cavale em Bangalore)