Celulares e eletrônicos são principais distrações no trânsito

sexta-feira, 8 de julho de 2011 15:00 BRT
 

Por Molly O'Toole

WASHINGTON (Reuters) - Distrações no trânsito, principalmente com celulares e outros aparelhos eletrônicos, estão associadas a um aumento de 25 por cento nos acidentes nos Estados Unidos, de acordo com um relatório divulgado na quinta-feira.

O estudo da associação de segurança no trânsito Governors Highway Safety Association (GHSA) avaliou mais de 350 publicações científicas com data posterior ao ano 2000.

Ele mostrou que motoristas dirigem distraídos em até metade do tempo e que incidentes causados por distrações têm resultados que variam de danos pequenos a acidentes fatais. O uso de celulares aumenta o risco de batidas, mas não mais que o envio de mensagens de texto.

"Apesar de tudo que foi escrito sobre distração no trânsito, ainda há muito que não sabemos", disse a diretora executiva da GHSA, Barbara Harsha, em nota. "Claramente, é preciso realizar mais estudos sobre o escopo do problema e sobre como resolvê-lo".

Dados do órgão de trânsito norte-americano National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA) mostram que, apenas em 2009, quase 5.500 fatalidades e cerca de 500 mil lesões resultaram de acidentes envolvendo motoristas distraídos.

Mortes relacionadas à distração no trânsito representaram 16 por cento das fatalidades em 2009, aumento de 10 por cento em relação a 2005.

O relatório afirmou ainda que leis banindo o uso de celulares no trânsito reduziram seu uso praticamente pela metade desde que foram implementadas, mas a utilização aumentou logo depois.

O estudo não concluiu se o uso de celulares com equipamentos que mantém as mãos livres é menos arriscado que o uso regular.

Também não há evidências que assegurem que proibições a celulares ou mensagens de texto reduzam acidentes ou lesões.

(Reportagem de Molly O'Toole)