Nokia deve anunciar prejuízo e perda de mercado no 2o trimestre

terça-feira, 19 de julho de 2011 11:44 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE, 19 de julho (Reuters) - A Nokia, maior fabricante mundial de celulares por volume de produção, provavelmente ficou no vermelho no segundo trimestre e não deve se recuperar ainda por mais alguns períodos, diante da contínua perda de participação de mercado, afirmam analistas.

O presidente-executivo da companhia, Stephen Elop, depositou as esperanças de reverter a situação em novos celulares inteligentes acionados pelo Windows, mas eles só chegarão ao mercado no final do ano.

O preço das ações da Nokia caiu à metade de fevereiro para cá, quando a empresa revelou o plano de adotar o Windows, em meio às preocupações dos investidores de que a empresa venha a perder tanto mercado, antes da chegada dos novos aparelhos, que não consiga mais reconquistar a posição que tinha no passado.

No final de maio, a Nokia alertou que os resultados do segundo trimestre ficariam bem aquém da projeção anterior, e abandonou metas anuais anunciadas anteriormente.

Para manter clientes, a Nokia cortou os preços de sua linha de celulares inteligentes, a partir do começo do terceiro trimestre, e isso deve afetar as margens de lucros de maneira adversa, disseram analistas.

Os observadores da empresa dizem que as perspectivas da companhia no terceiro trimestre podem ser ainda piores que o mercado projeta. A previsão média dos analistas é de prejuízo líquido de 51 milhões de euros para o grupo, com lucro operacional zero.

"Continuamos céticos com a proposição de valor dos novos aparelhos e acreditamos que as ações possam vir a enfrentar momentos ainda mais difíceis", afirmou Thomas Langer, analista do WestLB, em nota a clientes. Apesar disso, a corretora alterou para "neutra" sua recomendação anterior de venda das ações da Nokia, devido ao potencial de uma linha forte de modelos acionados pelo Windows.

Os problemas com os celulares inteligentes devem arrastar a Nokia a um prejuízo líquido no segundo trimestre de 10 milhões de euros, ante lucro de 419 milhões de euros no período um ano atrás, de acordo com a média das previsões de 27 analistas consultados pela Reuters.   Continuação...