ARM mostra cautela sobre vendas de eletrônicos no fim do ano

terça-feira, 26 de julho de 2011 10:30 BRT
 

Por Paul Sandle

LONDRES (Reuters) - A ARM Holdings expressou cautela sobre as vendas de aparelhos eletrônicos na temporada de compras de fim de ano, minimizando o impacto do resultado de segundo trimestre melhor que o esperado, durante o qual sua tecnologia, já dominante nos celulares e tablets, foi licenciada para mais e mais usos.

A empresa britânica, cujos projetos de microprocessadores são usados por Samsung Electronics, Qualcomm e Texas Instruments, vendeu 29 licenças durante o trimestre, o que ajudou o lucro antes de impostos a subir 25 por cento, para 54,2 milhões de libras (88,3 milhões de dólares). O faturamento cresceu 18 por cento, atingindo 117,8 milhões de libras.

A ARM afirmou que esperava que a receita da indústria no segundo trimestre, que determina os royalties a serem pagos no terceiro trimestre, crescesse ante o período anterior, mas a empresa acabou mantendo suas projeções anuais, o que indica menos confiança nas vendas antes do período de compras natalinas.

"Existem obviamente diversas grandes incertezas macroeconômicas que nos tornam cautelosos sobre a expectativa de vermos uma alta usual nas vendas sazonais do final do ano, antes do Natal, pelo menos em escala tão significativa quanto em anos anteriores", disse Tim Score, diretor financeiro da companhia, a jornalistas, nesta terça-feira.

As ações da empresa subiram em até 2,6 por cento, com a recepção favorável do mercado às fortes vendas de licenças, mas o avanço foi revertido posteriormente pelas preocupações sobre o nível de consumo.

O analista Paul Morland, da Peel Hunt, disse que os resultados foram "excelentes", mas com as ações negociadas a um múltiplo de 54 vezes a receita deste ano, elas se tornaram vulneráveis a resultados trimestrais que não atendem às fortes expectativas do mercado.

"Já que os royalties são pagos com um trimestre de atraso e diversas fabricantes de semicondutores reportaram certa desaceleração no terceiro trimestre, existe algum risco de que o quarto trimestre seja decepcionante para a ARM", disse.