Anistia diz que governo saudita bloqueou site após vazamento

terça-feira, 26 de julho de 2011 13:29 BRT
 

JIDÁ, Arábia Saudita (Reuters) - A Anistia Internacional informou que seu site na Arábia Saudita foi bloqueado depois que o grupo de direitos humanos vazou um projeto de lei anti-terror e acusou o reino de planejar usar a legislação para esmagar dissidentes.

A Anistia Internacional publicou o projeto de lei na Internet na sexta-feira passada, afirmando que a lei permitirá ao país deter suspeitos sem acusação por longos períodos e manter presas por mais de 10 anos pessoas que criticarem o rei ou o príncipe herdeiro.

A Arábia Saudita rejeitou a acusação dizendo que a lei foi formulada para conter os terroristas e não os manifestantes.

Segundo a Anistia, vários jornalistas e ativistas de direitos humanos informaram que não conseguiram acessar o site www.amnesty.org na segunda-feira e também nesta terça-feira.

"Em vez de atacar esses problemas, bloqueando o debate, o governo saudita deveria alterar a lei para abrandar o ânimo dos dissidentes e não negar os direitos humanos", afirmou o diretor da Anistia Internacional para o Oriente Médio e Norte da África, Malcolm Smart, em comunicado.

Já o porta-voz do Ministério da Informação saudita, Abdulrahman al-Hazza, afirmou que não poderia comentar o assunto. A Arábia Saudita bloqueia regularmente sites que o reino conservador muçulmano considera censuráveis. Em 2009, o Comitê de Proteção a Jornalistas informou que o governo saudita monitorou e bloqueou 400 mil sites.