Brasil mantém negociação avançada sobre fábrica de telas

quinta-feira, 28 de julho de 2011 10:11 BRT
 

SÃO PAULO, 28 de julho (Reuters) - O Brasil mantém negociações em estágio avançado para a instalação de uma fábrica de telas sensíveis ao toque no país, disse nesta quinta-feira o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

Durante o programa "Bom Dia Ministro", da Radiobrás, Mercadante afirmou também que o governo pretende ampliar para todo o setor de tecnologia da informação os incentivos dados para a fabricação de tablets no Brasil.

"O Brasil será o primeiro país do Ocidente a ter essa indústria (de tela sensível ao toque) se nós concretizarmos entendimentos que estão muito avançados nessa direção", disse o ministro sem dar mais detalhes sobre com quem o governo mantém negociações, nem sobre o local onde a unidade poderá ser instalada.

O governo federal incluiu em maio os computadores tablets na chamada Lei do Bem. Com isso, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre estes dispositivos cai de 15 para 3 por cento. Além disso, a alíquota do PIS/Cofins foi zerada.

"Isso que nós estamos fazendo com os tablets pretendemos fazer... com toda cadeia de tecnologia da informação. Isso ajudará a estimular a inovação", disse Mercadante.

De acordo com a empresa de pesquisa IDC, as vendas de tablets no Brasil devem chegar a 300 mil unidades em 2011, com a maior movimentação ocorrendo nos seis últimos meses do ano. Nessa época, mais produtos do exterior terão chegado ao mercado brasileiro e as fabricantes nacionais já terão se posicionado com seus próprios produtos.

Segundo o IDC, a desoneração dos tablets só terá um impacto relevante sobre as vendas em 2012, levando-se em conta o tempo de produção dos dispositivos brasileiros.

De acordo com o ministro, o governo da presidente Dilma Rousseff negocia o incentivo à inovação em outros setores da economia. Sem dar detalhes, ele afirmou que existem negociações com a Confederação Nacional da Indústria para a criação de uma empresa estatal voltada à pesquisa industrial, no mesmo modelo da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).

COMBATE AO DESMATAMENTO   Continuação...