Investidores se afastam de apostas em smartphones

quinta-feira, 4 de agosto de 2011 19:05 BRT
 

Por Sinead Carew

NOVA YORK (Reuters) - Smartphones podem ter boa aparência e muitos recursos, mas nesta semana ficaram com má reputação.

Na verdade, são o principal motivo para o êxodo de investidores do setor de telecomunicações sem fio dos Estados Unidos. Acionistas das pequenas operadoras MetroPCS Communications e da Leap Wireless simplesmente perderam a fé na promessa de que smartphones impulsionarão o crescimento, afirmaram analistas.

Embora que esse tipo de aparelho possa deixar consumidores felizes, investidores veem, em vez disso, apenas custos crescentes para as operadoras, que subsidiam tais aparelhos para ajudar a aumentar a duração de contratos com clientes.

Mesmo a líder de mercado dos Estados Unidos, Verizon Wireless, joint-venture da Verizon Communications e da Vodafone, deixou investidores nervosos quando revelou crescimento fraco no segmento de smartphones.

A ação da terceira maior provedora de serviços móveis dos EUA, Sprint Nextel, acumula queda de 24 por cento desde que a empresa apurou perdas na base de assinantes e um aumento dramático nos custos.

"As pessoas estão repensando o que os smartphones significam para empresas de telefonia, quanto crescimento podem gerar e o impacto em suas margens", disse o analista Walter Piecyk, da BTIG.

Em 2 de agosto, a MetroPCS divulgou resultados mais fracos sobre o crescimento da base de clientes do que o esperado, mesmo com os custos aumentando acima do previsto. Além disso, executivos disseram a analistas em uma teleconferência que clientes com smartphones caros não parecem ter maior fidelidade do que aqueles que adquiriam aparelhos mais baratos.

Analistas não estão pondo em dúvida a força da demanda de consumidores por smartphones, que apresenta rápida expansão, mas questionam se as provedoras de serviços wireless são os melhores lugares para aplicar dinheiro.

Piecyk, da BTIG, sugeriu que as próprias fabricantes de smartphones podem ser melhores apostas. A maior delas é a fabricante do iPhone, a Apple.