Em busca de uma nova Sony nas ruínas do grande terremoto

segunda-feira, 8 de agosto de 2011 11:30 BRT
 

Por Tim Kelly

TÓQUIO (Reuters) - Em recente viagem à costa nordeste do Japão, Yoshihito Hori, um executivo de capital para empreendimentos, encontrou por acaso um grupo de pescadores, que recolhiam madeira do lado de fora de um centro de evacuação instalado no local que antes abrigava suas casas. Eles removiam os pregos da madeira recolhida e a vendiam como lenha para fogueira ao preço de 500 ienes (6,37 dólares) o fardo.

O terremoto que deflagrou um tsunami de escala milenar destruiu o porto e os barcos nos quais eles trabalhavam, forçando os pescadores a se tornarem pequenos empresários para sobreviver.

"A História nos diz que, depois de um grande terremoto ou guerra, surgem mais empresários", diz Hori, fundador da Globis Capital Partners e Globis Business School.

Muitas das empresas mais conhecidas do Japão, entre as quais Sony e Honda, surgiram de empreitadas iniciadas em meio às ruínas da Segunda Guerra Mundial, enquanto as forças de ocupação dos Estados Unidos desmantelavam o complexo industrial militar japonês.

Passadas duas gerações, porém, o espírito empreendedor encontra dificuldades para sobreviver devido ao peso dos imensos conglomerados que dedicam grandes verbas aos seus departamentos internos de pesquisa e desenvolvimento.

Como opção de carreira, se tornar empresário não é encorajado ou visto com respeito no Japão. A maioria dos formandos, por insistência de suas famílias, busca a segurança mas baixo retorno de um emprego nas grandes companhias ou no serviço público.

A PRÓXIMA SONY

Em seu relatório anual de 2010, o Global Entrepreneurship Monitor, que avalia as atitudes de cada país quanto ao espírito empreendedor, mostra que no Japão as percepções quanto a empresas iniciantes são as piores entre os 22 países desenvolvidos pesquisados. O resultado japonês de 5,9 é equivalente a menos de um quinto do placar médio de 33,4 pontos. Os EUA registram 34,8, a Austrália 45,7 e a Suécia lidera a lista com 66,1 pontos.   Continuação...