VP financeiro da Intel mostra calma diante de queda nos mercados

terça-feira, 9 de agosto de 2011 12:15 BRT
 

Por Noel Randewich e Peter Henderson

SAN FRANCISCO (Reuters) - Os negócios da Intel estão mantendo o rumo, apesar do colapso dos mercados mundiais de ações e do rebaixamento dos títulos de dívida pública dos Estados Unidos, graças à demanda nos mercados em desenvolvimento, disse o vice-presidente financeiro da companhia.

Em forte contraste com o pânico entre investidores que causou queda de mais de cinco por cento no índice Dow Jones na segunda-feira, Stacy Smith, demonstrando calma, disse que os consumidores em economias que vivem expansão, como a China e o Brasil, respondem hoje por metade das vendas da Intel e não estavam preocupados com os problemas norte-americanos.

"Quando seu país está se saindo bem, você se sente meio vacinado contra alguns dos choques que acontecem em outras partes do mundo", declarou em entrevista à Reuters na segunda-feira.

O preço das ações da Intel está baixo há algum tempo, dada a pressão dos investidores para que a companhia entre de forma mais rápida e agressiva no mercado de aparelhos móveis, tais como celulares inteligentes e tablets. Os chips da Intel só serão usados em celulares inteligentes a partir do ano que vem, por exemplo.

Smith, que usa três smartphones e tem um tablet, insistiu em que não havia sinais de problemas que o levassem a alterar suas projeções de negócios. "Nada aconteceu na última semana ou pouco mais que altere minha perspectiva sobre o terceiro trimestre", acrescentou.

Smith falou pouco depois que o índice industrial médio Dow Jones fechou em queda de mais de 5,5 por cento como reação ao rebaixamento na classificação de crédito dos títulos da dívida federal norte-americana pela S&P.

Embora os analistas digam que o impacto direto do rebaixamento sobre a economia seja limitado, uma queda sustentada nos preços das ações teria efeitos negativos sobre o patrimônio e provavelmente forçaria empresas e consumidores a se precaver.

Algumas semanas atrás, a Intel reduziu sua projeção quanto ao volume de vendas de computadores em 2011, alertando sobre baixa demanda nos mercados maduros mas destacando a saudável expansão na China.