ZTE mira Apple e Samsung para crescer em smartphones nos EUA

terça-feira, 9 de agosto de 2011 12:39 BRT
 

Por Melanie Lee

XANGAI, 9 de agosto (Reuters) - A chinesa ZTE está de olho na Apple e na Samsung Electronics, planejando uma rápida expansão no mercado norte-americano de smartphones.

A empresa é a segunda maior fabricante de equipamentos de telecomunicação na China e estima que irá superar a meta de vender 80 milhões de aparelhos móveis em 2011. O plano da companhia é fazer dos Estados Unidos seu maior mercado em três a cinco anos, afirmou um executivo nesta terça-feira.

"O sucesso nos Estados Unidos é prova requerida para alegar sucesso mundial," disse He Shiyou, vice-presidente executivo da ZTE e diretor da divisão de terminais do grupo.

"Se a pessoa quer se tornar um astro do cinema mundial, precisa ir para Hollywood. Não existe astro de cinema que tenha fama mundial e não seja conhecido em Hollywood," disse He.

Com os smartphones respondendo hoje por mais de 50 por cento das vendas de celulares na maior economia mundial, devem surgir novas oportunidades para empresas que estão chegando tarde ao mercado, como a ZTE.

Os EUA responderam por 10 por cento das vendas de celulares da ZTE em 2010, atrás da Europa, com entre 15 e 20 por cento, e da China, com 35 por cento. A ZTE espera acelerar seu crescimento no mercado norte-americano por meio de parcerias com T-Mobile, AT&T e Sprint.

"Creio que dois ou até mesmo um ano atrás isso era algo que seria impossível realizar," disse Alvin Kwock, analista do JPMorgan em Hong Kong.

A ZTE, como a Huawei , sua rival chinesa de maior porte, quer basear seu crescimento nos produtos ao consumidor.

"Agora acredito que o jogo venha a favorecer os celulares inteligentes de preço mais baixo," disse Zona Chen, analista da Samsung Securities. "Eu diria que a concorrência é bastante saudável e estou certo de que, seja a Huawei, seja a ZTE, eles terão oportunidade de conquistar mercado diante dos rivais de maior porte".

No primeiro trimestre, a ZTE era a sexta maior fabricante mundial de celulares em termos de volume, atrás de Nokia, Samsung Electronics, LG Electronics, Apple e Research In Motion, de acordo com o grupo de pesquisa Gartner.