Murdoch endossa Carey como sucessor na News Corp

quinta-feira, 11 de agosto de 2011 12:20 BRT
 

Por Yinka Adegoke

NOVA YORK (Reuters) - Rupert Murdoch reconheceu publicamente pela primeira vez que seu filho James não é sua escolha preferencial para sucedê-lo no comando do império de mídia News Corp, pelo menos em curto prazo.

Na mais clara indicação de que o escândalo das escutas telefônicas que cerca as operações britânicas da News Corp prejudicou as ambições de James Murdoch de ascender ao comando do grupo, seu pai endossou a promoção de Chase Carey, seu segundo em comando, ao posto.

"Chase é meu parceiro e, se alguma coisa acontecer comigo, estou certo de que tomaria as rédeas de imediato -- se um ônibus me atropelasse", disse Murdoch em resposta a pergunta de um repórter da Reuters sobre os planos de sucessão do grupo, durante uma conferência telefônica com jornalistas sobre as projeções trimestrais do grupo.

Ainda que a News Corp tenha afirmado com frequência que tem um plano de sucessão em vigor, a companhia jamais havia definido de forma explícita quem assumiria como presidente-executivo caso Murdoch deixe o posto.

Em depoimento ao Parlamento britânico no mês passado, Murdoch reiterou seu já antigo desejo de que um de seus filhos o suceda. Até recentemente, o caçula James, 38, era visto como mais provável sucessor, depois de ser promovido a vice-presidente adjunto de operações em março.

Mas James Murdoch está sob pressão desde que surgiu o escândalo das escutas telefônicas, no mês passado. Os problemas causaram o fechamento do tabloide britânico News of the World e levaram à detenção de 12 ex-funcionários da companhia. As operações britânicas da News Corp se reportavam a James.

Ele terá de apresentar uma declaração escrita a um comitê parlamentar britânico, até quinta-feira, respondendo a acusações de que fez declarações falsas em depoimento anterior.

No entanto, James Murdoch não foi completamente alijado. Murdoch, 80, acrescentou que ele e Carey tinham "plena confiança" em James, o que deixa as portas abertas para que venha a assumir a presidência executiva do grupo no futuro.

Por enquanto, Rupert Murdoch não planeja se afastar, a despeito das questões que o escândalo das escutas causou quanto à sua liderança. "Espero que a vaga não se abra no futuro próximo", brincou Murdoch. Ele acrescentou que conta com pleno apoio do conselho da News Corp.