Google e Facebook duelam nos jogos sociais

sexta-feira, 12 de agosto de 2011 10:40 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Facebook deixou de ser a única fonte de jogos sociais. Na quinta-feira, a maior rede social da Internet mundial agiu para firmar o apoio de produtoras de jogos como a Zynga, que oferecem alguns dos maiores atrativos para o público do Facebook, enquanto o Google apresentava os primeiros jogos em sua rede social lançada recentemente.

Com a disputa entre os dois gigantes da Web para atrair usuários aos seus respectivos serviços online, os anúncios rivais sobre jogos destacam um segmento que pode se tornar campo de batalha importante entre eles.

"O fato é que as pessoas gostam de jogos, e eles ocupam posição central no uso de redes sociais", disse Jeremy Liew, sócio do grupo de capital para empreendimentos Lightspeed Venture Partners. Liew, que investiu em companhias de jogos sociais como a Playdom, adquirida pela Walt Disney no ano passado, estava comentando sobre o anúncio do Google quanto aos jogos sociais.

Na quinta-feira, o Google anunciou que ofereceria 16 jogos produzidos por terceiros no Google+, entre os quais o Zynga Poker e o popular Angry Birds. O Google, que anteriormente havia realizado um investimento de valor não anunciado na Zynga, informou que lançaria jogos gradualmente no Google+ e que o recurso de jogos estaria disponível para todos os usuários "em breve".

O Facebook, que recebeu 100 produtores de jogos em um evento em sua sede na noite de quinta-feira, anunciou novos recursos que melhorarão a experiência de jogo em seu site, bem como um afrouxamento das restrições aos modos pelos quais os produtores podem comercializar seus jogos na rede social.

As mudanças expandirão os tipos de notificação que os usuários do Facebook veem quando seus amigos estão jogando no site, atenuando restrições adotadas no ano passado que provocaram queixas entre os produtores de jogos.

Jogos sociais como o Farmville, da Zynga, são uma das atividades mais populares do Facebook. Mais de 200 milhões de usuários utilizam os jogos do Facebook a cada mês, e a empresa recebe 30 por cento do valor das vendas de bens virtuais adquiridos como parte dos jogos.