HP planeja separar área de PCs; reduz previsão de receita

quinta-feira, 18 de agosto de 2011 17:38 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A HP está em negociações para comprar a fabricante de softwares inglesa Autonomy por 10,3 bilhões de dólares e analisa opções para sua divisão de computadores pessoais, incluindo uma divisão, uma vez que a gigante da tecnologia mira uma renovação do negócio para reavivar seu crescimento.

A HP, ícone no Vale do Silício que domina a indústria de computadores pessoais, anunciou que descontinuará o tablet e os telefones "TouchPad", baseados no sistema operacional WebOS, que não conseguiram conquistar os consumidores.

A notícia coincidiu com a divulgação dos resultados financeiros da companhia, revelados mais cedo que o esperado nesta quinta-feira.

A empresa afirmou que a receita do seu terceiro trimestre fiscal subiu para 31,2 bilhões de dólares em relação aos 30,7 bilhões de dólares um ano atrás, em linha com as expectativas do mercado.

A ação da companhia havia avançado brevemente para território positivo após uma notícia da Bloomberg sobre as negociações, quando o mercado comemorou sua ousada incursão no setor de software, de altas margens, assim como a separação da unidade de computadores, que enfrenta dificuldades.

Porém, os papéis recuaram diante dos resultados da HP, cedendo 3 por cento antes de suas negociações serem brevemente suspensas. A ação chegou a cair mais de 7 por cento pouco antes do fechamento do mercado.

O presidente-executivo da companhia norte-americana, Leo Apotheker, tem a missão de expandir a relativamente pequena, mas muito rentável, divisão de software, inclusive por meio de aquisições.

A unidade Personal Systems da HP --que pode ser colocada à venda-- inclui smartphones, tablets, o sistema operacional WebOS e PCs. A unidade gera cerca de 41 bilhões de dólares em receita, mas responde por apenas 13 por cento do lucro.

A decisão da HP de descontinuar o TouchPad --que chegou às lojas em julho e cuja campanha de marketing teve um grande orçamento -- segue-se à baixa demanda para o tablet com WebOS. Seu preço foi reduzido em 100 dólares um mês após o lançamento, em um mercado atualmente dominado pelo iPad, da Apple.   Continuação...