Após acidente, Rússia adia missão espacial

segunda-feira, 29 de agosto de 2011 14:44 BRT
 

Por Timothy Heritage

MOSCOU (Reuters) - A Rússia adiou nesta segunda-feira a próxima missão tripulada para a Estação Espacial Internacional em pelo menos um mês e uma autoridade disse que qualquer novo atraso poderá forçar o país a deixar a estação sem ninguém pela primeira vez em uma década.

A agência espacial russa, a Roskosmos, anunciou sua decisão para ganhar tempo para verificações das condições de segurança que começaram a ser feitas depois da queda de uma nave de carga não tripulada que levava mantimentos e combustível para a estação espacial, em 24 de agosto.

A espaçonave não conseguiu alcançar a órbita e pegou fogo na atmosfera, lançando destroços sobre a Sibéria, segundo as autoridades russas.

No breve comunicado desta segunda-feira, as autoridades não fixaram nova data para as missões, mas agências russas de notícias disseram que três dos seis tripulantes da estação vão retornar à Terra por volta de 16 de setembro em vez de 8 de setembro, e as substituições se darão no fim de outubro ou começo de novembro.

"Se por qualquer motivo não pudermos levar a tripulação antes do fim de novembro, vamos precisar reavaliar as possibilidades, incluindo a de deixar a estação sem ninguém", disse Alexei Krasnov, encarregado dos voos tripulados na Roskosmos, segundo informou a agência der notícias Interfax.

A Estação Espacial Internacional, um laboratório de pesquisa orbital que integra um projeto de 100 bilhões de dólares envolvendo seis países, está com tripulação continuamente há mais de uma década.

O próximo envio de uma equipe à estação será o primeiro desde que a agência espacial dos EUA, a Nasa, aposentou seu programa de ônibus em julho, após 30 anos de atividade.

Isto causou preocupação na Nasa, já que agora depende inteiramente das naves russas para o envio de pessoas ao espaço.