Financial Times remove aplicativos de lojas da Apple

quarta-feira, 31 de agosto de 2011 15:45 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O jornal Financial Times removeu seus aplicativos para iPad e iPhone da loja App Store, da Apple, após perder uma batalha para manter o controle de dados de clientes obtidos por meio de assinaturas.

A Apple começou, recentemente, a insistir que os dados de assinaturas de aplicativos que ela hospeda sejam transmitidos por sua própria loja, o que dá à fabricante a posse de valiosas informações sobre clientes, assim como 30 por cento da receita da venda de aplicativos.

O FT, da Pearson, e a Apple negociavam há meses, mas, por fim, falharam em chegar a um acordo, disse um porta-voz do FT nesta quarta-feira.

A Apple lançou seu próprio serviço de assinatura de revistas, jornais, vídeos e músicas mais cedo este ano, mas obteve pouco apoio das principais editoras e provedoras de conteúdo.

O iPad, lançado há um ano e meio, criou um novo mercado que têm sido uma dos principais fontes de novas assinaturas para o FT.com, que agora representa cerca de um quarto das vendas totais do FT.

As assinaturas digitais do FT cresceram 34 por cento para 230 mil no primeiro semestre, com aparelhos móveis respondendo por mais de 22 por cento do tráfego do FT.com e mais de 15 por cento das novas assinaturas.

Em uma medida para reduzir sua dependência no dispositivo da Apple e desenvolver aplicativos mais rapidamente para outros fabricantes de tablets, o FT lançou, em junho, uma versão de Internet de seu aplicativo móvel.

Desta forma, os leitores podem acessar os serviços do FT de qualquer dispositivo móvel com acesso à Web, incluindo do iPad e do iPhone.

(Reportagem de Georgina Prodhan)