Empresas de tecnologia podem puxar IPOs nos EUA em setembro

segunda-feira, 5 de setembro de 2011 15:24 BRT
 

Por Clare Baldwin

NOVA YORK (Reuters) - O verão norte-americano foi difícil para as ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) por conta do mau-humor nos mercados acionários, mas emissões de papéis de tecnologia nos EUA podem ver forte demanda quando os banqueiros e administradores de fundos de investimento voltarem de férias em setembro.

O crescimento prometido pelas companhias de tecnologia é dramático e difícil de alcançar em um mercado dominado por rumores sobre a crise da dívida europeia de dívida e pela hesitante recuperação econômica dos Estados Unidos.

"A demanda será mais forte pela tecnologia do que por qualquer outra coisa", disse Josef Schuster, fundador da IPOX Schuster, uma companhia de pesquisa e investimento em IPOs de Chicago.

Jack Ablin, vice-presidente de investimento do Harris Private Bank, também de Chicago, concorda. "Tecnologia é crescimento", diz.

"Os compradores de ações em ofertas iniciais são como os exploradores de risco no petróleo", afirmou Ablin. "Querem participar de tudo na esperança de que um dos investimentos funcione e eles embarquem no próximo Google".

O Harris Private Bank administra 55 bilhões de dólares.

As duas maiores ofertas públicas iniciais do setor de tecnologia em preparo no momento são a da Zynga, maior produtora de jogos para o Facebook, que planeja levantar um bilhão de dólares em capital, e a do Groupon, que oferece descontos para compras em empresas locais e planeja levantar até 750 milhões de dólares.

A Zynga foi fundada em 2007 e em menos de três anos elevou sua receita a quase 600 milhões de dólares além de começar a apresentar lucro. Neste ano, deve elevar ainda mais a receita, ainda que, se o primeiro trimestre serve de indicador, seu lucro total possa ser inferior ao do ano passado.   Continuação...