ZTE quer 15% do mercado de smartphone e modem no Brasil em 2012

segunda-feira, 12 de setembro de 2011 19:58 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - Com a implantação de sua primeira fábrica no Brasil, a chinesa ZTE pretende ampliar sua participação no mercado de celulares e modems para até 15 por cento ao fim de 2012, segundo o presidente-executivo da ZTE no país, Eliandro Ávila.

A ZTE, que anunciou investimento de 250 milhões de dólares no Brasil no início do ano, atualmente detém de 8 a 10 por cento do segmento, segundo dados da própria companhia.

"Nossa meta é crescer pelo menos mais 5 por cento até o fim de 2012", disse Ávila à Reuters, durante a Futurecom, evento do setor de telecomunicações em São Paulo, no qual a companhia lançou o smartphone Skate, com sistema operacional do Google.

A fábrica, localizada em Hortolândia, interior de São Paulo, deve começar a operar em breve, pois foi adquirida de outra fabricante e já está preparada para a produção, acrescentou. "No momento, estamos trazendo nossos equipamentos para fabricação e aguardamos as licenças necessárias."

A fábrica vai produzir terminais de telecomunicações, como celulares, smartphones e tablets, em um primeiro momento, e equipamentos de infraestrutura de banda larga posteriormente. Na primeira etapa, serão 400 funcionários na fábrica, que passarão para 2 mil dentro de 1 ano e meio ou 2 anos.

Em paralelo, a ZTE aposta no desenvolvimento de modems com a tecnologia LTE, que, segundo a presidente Dilma Rousseff, será implantada no Brasil antes da Copa do Mundo de 2014.

"Assim que houver demanda por modems LTE estaremos prontos para produzi-los. Acredito que as redes devem entrar em funcionamento no fim do ano que vem ou no começo de 2013", disse ele antes a jornalistas.

De acordo com Ávila, a ZTE Brasil cresceu 150 por cento em 2010, com a venda de 3,5 milhões de aparelhos. O patamar será superado em 2011, sendo que no primeiro semestre já foram comercializados 2,5 milhões de aparelhos.