Netflix firma acordo para distribuir filmes da Dreamworks

segunda-feira, 26 de setembro de 2011 12:32 BRT
 

(Reuters) - A Netflix anunciou nesta segunda-feira que conquistou os direitos de TV por assinatura para distribuir os filmes da Dreamworks Animation a partir de 2013. É a primeira vez que um grande estúdio de Hollywood opta por distribuição via Internet (streaming) em vez de um canal convencional de TV a cabo.

A notícia do acordo resultou em alta de quase 7 por cento nas ações da Netflix antes da abertura do pregão nesta segunda-feira. Às 12h20, os papéis subiam 1,5 por cento.

A companhia não revelou detalhes financeiros do acordo.

O presidente-executivo da Dreamworks, Jeffrey Katzenberg, entretanto, afirmou ao New York Times que o acordo, no valor de 30 milhões de dólares por cada filme para a Dreamworks pelo prazo de diversos anos, representava uma "mudança no jogo," e uma aposta de que os espectadores em breve já não farão distinção entre conteúdo distribuído online ou via cabo.

O acordo com a Netflix significa que a Dreamworks, responsável por produções infantis de sucesso como "Shrek" e "Kung Fu Panda," está trocando a HBO, uma operadora premium de canais de TV a cabo, pela distribuição online, de acordo com o New York Times. A HBO é subsidiária da Time Warner.

"Estamos começando a ver um mapa para o futuro de nosso setor em longo prazo," disse Katzenberg, segundo o jornal.

O acordo de conteúdo surge dias depois que a Netflix, cujas ações sofreram pesadas perdas recentemente por erros de estratégia da companhia, fechou acordo para distribuir programas de TV da Discovery Communications.

A Netflix precisa ampliar o acervo de conteúdo de seu serviço de vídeos online a fim de continuar atraindo novos clientes e resistir à concorrência de rivais como Amazon.com, Google e Apple.

As ações da empresa, até poucos meses atrás muito prestigiada em Wall Street, caíram 50 por cento em dois meses.

O presidente-executivo da Netflix, Reed Hastings, se desculpou por não ter explicado devidamente as decisões do grupo, entre as quais, um aumento de preços que pegou o mercado de surpresa, em julho, e a separação da unidade de distribuição de vídeos online daquela de DVDs entregues pelo correio. A companhia vem tentando reconquistar os assinantes perdidos.

(Por Edwin Chan em Los Angeles e Supantha Mukherjee em Bangalore)