Cofundador da Apple, Steve Jobs morre aos 56 anos

quarta-feira, 5 de outubro de 2011 22:18 BRT
 

Por Poornima Gupta e Edwin Chan

SAN FRANCISCO (Reuters) - Steve Jobs, cofundador e ex-CEO da Apple, considerado um dos maiores executivos norte-americanos da sua geração, morreu nesta quarta-feira aos 56 anos, após uma longa batalha pública contra o câncer e outras doenças.

A morte foi anunciada pela Apple em um comunicado na noite desta quarta-feira. A página inicial do site Apple.com traz uma foto dele em preto e branco, com as palavras: "Steve Jobs, 1955-2011".

Esse ícone do vale do Silício, que deu ao mundo o iPod e o iPhone, havia renunciado em agosto ao cargo de presidente-executivo da maior empresa mundial de tecnologia, entregando as rédeas a Tim Cook.

Consumido por uma forma rara de câncer do pâncreas, ele era visto como o coração e a alma de uma companhia que rivaliza com a Exxon Mobil como a mais valiosa da América.

"O brilho, a paixão e a energia de Steve foram a fonte de inovações incontáveis que enriqueceram e melhoraram todas as nossas vidas. O mundo é imensamente melhor por causa de Steve", disse a Apple em nota anunciando o falecimento.

"Seu amor maior era por sua esposa, Laurene, e sua família. Nossos corações estão com eles e com todos que foram tocados por seu talento extraordinário."

A saúde de Jobs há anos era motivo de polêmica. Sua luta contra o câncer causava imensa preocupação aos fãs de Jobs e também aos investidores e membros do conselho da Apple -- alguns dos quais, nos últimos anos, já confidenciavam aos amigos sobre suas preocupações de que Jobs, na busca por privacidade, não estivesse sendo suficientemente transparente com os diretores a respeito do seu real estado de saúde.

Agora, apesar da confiança dos investidores em Cook, que já substituíra o chefe durante três afastamentos, permanecem as preocupações sobre a capacidade da empresa em continuar sendo uma força criativa nos próximos anos, sem ter à frente o seu visionário fundador.   Continuação...

 
Foto de arquivo do ex-CEO da Apple Steve Jobs, que morreu nesta quarta-feira, durante conferência em San Francisco. 06/06/2011  REUTERS/Beck Diefenbach