Lojas da Apple no mundo todo ficam de luto após morte de Jobs

quinta-feira, 6 de outubro de 2011 13:34 BRT
 

Por Sarah McBride e Liana Baker

CUPERTINO, Califórnia/NOVA YORK (Reuters) - De Nova York à Austrália, fãs da tecnologia e dos computadores compareceram a lojas Apple do mundo todo para homenagear Steve Jobs, destacando o seu caráter visionário que transformou o cotidiano de milhões de pessoas.

Na sede da empresa que Jobs fundou em 1976 -- na Infinite Loop, 1, Cupertino, Califórnia --, bandeiras tremulavam a meio mastro, e muita gente se reuniu num gramado próximo após a morte de Jobs, na quarta-feira. Abalados, fãs da Apple deixavam flores, e um homem tocava gaita de fole.

"Na minha cabeça, não existe diferença entre ele e Pasteur", disse Chitra Abdolzadeh, que trabalha no setor da saúde em Cupertino, numa referência ao ilustre químico francês.

Ben Chess, de 29 anos, engenheiro em uma empresa de Internet e ex-estagiário da Apple, viajou depois do expediente de trabalho de San Francisco até o QG da Apple para deixar um ramo de flores. "É a coisa certa a fazer", disse.

Jobs, que morreu aos 56 anos vítima de um câncer pancreático, revolucionou a maneira como os usuários navegam na Internet ao lhes dar o iPod, o iPhone e o iPad. Ele havia deixado em agosto o comando da empresa, a maior do mundo no setor de tecnologia.

Os "geeks" chineses pareciam especialmente comovidos. "Vim aqui ver como eles vão operar no primeiro dia depois de perderem Steve Jobs", afirmou Jin Yi, de 27 anos, na maior loja da Apple na China, em Xangai, que abriu no mês passado.

"É uma pena o dia de hoje. Ele criou todos esses aparelhos que alteraram as percepções das pessoas sobre as máquinas. Mas não conseguiu testemunhar o último passo, pelo qual, por meio dos seus equipamentos, as vidas das pessoas poderão ser efetivamente unidas a essas máquinas."

Em Hong Kong, Charanchee Chiu deixou um solitário girassol e uma rosa branca em frente a loja local da Apple.   Continuação...

 
Pedestres param para fotografar um memorial improvisado em frente à loja da Apple na 5a Avenida, em Nova York, nesta quinta-feira, 6 de outubro. O co-fundador e ex-presidente-executivo da Apple Steve Jobs morreu na quarta-feira após uma longa batalha pública contra um câncer. REUTERS/Lucas Jackson