ANÁLISE-Sem Jobs, distância entre Apple e rivais pode diminuir

quinta-feira, 6 de outubro de 2011 16:08 BRT
 

Por Miyoung Kim e Hyunjoo Jin

SEUL (Reuters) - A morte do carismático líder da Apple provavelmente terá profundo impacto sobre a fabricante do iPod, iPhone e iPad, dando aos grandes rivais da empresa uma chance maior de recuperar o atraso com relação à gigante da tecnologia.

O espírito criativo de Steve Jobs estava tão ligado ao destino da Apple que sua morte, aos 56 anos, traz questões sobre a capacidade da empresa de manter o ritmo acelerado de sua criação de produtos transformadores.

"Como analista de tecnologia, lamento sua morte. Era mais a Apple de Jobs do que o Jobs da Apple", disse Kim Young-chan, analista da Shinhan Investment, em Seul.

Os presidentes-executivos de companhias rivais como a Samsung Electronics, Amazon.com, Google e Sony expressaram pesar pela morte de Jobs, um sinal do respeito que tinham pelo lendário executivo do Vale do Silício.

Os investidores sabiam da longa batalha de Jobs contra o câncer pancreático. Em agosto, o homem conhecido por seu apego ao design minimalista e por seu gênio para o marketing entregou a presidência executiva da companhia a Tim Cook, que foi por muito tempo seu vice-presidente de operações.

"A Apple já não conta com alguém tão criativo e ambicioso como Jobs", disse Simon Liu, administrador de fundos no Polaris Group.

Na Ásia, as perspectivas da Samsung são vistas como associadas de perto às da Apple.

Os analistas acreditam que o conglomerado sul-coreano esteja bem posicionado para oferecer produtos inovadores e inspiradores, capazes de enfrentar a Apple. A Samsung já produz o mais próximo concorrente do tablet iPad.   Continuação...

 
Homenagens a Steve Jobs são deixadas ao lado de fora de loja da Apple em Londres. 06/10/2011 REUTERS/Suzanne Plunkett