Gasto com computação em nuvem ajudará setor tecnológico nos EUA

sexta-feira, 14 de outubro de 2011 16:21 BRT
 

Por Bill Rigby e Noel Randewich

(Reuters) - Grandes fornecedoras de equipamentos para processamento de dados pela Internet devem ofuscar os resultados das fabricantes de PCs nos EUA com o início da temporada de divulgação de balanços na semana que vem, à medida que empresas da Web aceleram o ritmo de gastos com hardware.

Companhias estão aderindo cada vez mais às novas tecnologias para se tornarem mais produtivas em uma economia global que vem dando sinais de fraqueza. Enquanto isso, o fenômeno das redes sociais e do comércio eletrônico está estimulando os gastos maciços de empresas com servidores.

Isso é uma boa notícia para a Intel, que está fornecendo mais microchips diretamente para empresas que constróem seus próprios servidores. Companhias como EMC e VMware, cujos negócios são essenciais para o armazenamento e a transmissão de dados remotos, conhecidos como "computação em nuvem", também devem ser favorecidas.

Mas isso é menos entusiasmante para fabricantes de hardware tradicionais como Dell e HP, que estão vendendo PCs com margens baixas e lutando para lidar com uma migração acelerada para smartphones e tablets.

"O setor que mostra força ainda é o de data centers, a nuvem", disse Kevin Cassidy, analista de chips da Stifel Nicolaus. "Você tem o Facebook construindo seus data centers... cinco campos de futebol de grandes dimensões."

O Facebook, assim como as líderes da Internet Amazon.com e a chinesa Baidu, estão comprando grande quantidade de equipamentos para montar dois grandes data centers no Oregon e na Carolina do Norte, mas recorrendo diretamente a fabricantes de componentes como a Intel para as peças, em vez de comprar servidores completos da HP ou da IBM.

PCS FICAM NAS PRATELEIRAS

A Apple, que divulgará seus resultados na terça-feira, continua a desafiar a economia e surpreender Wall Street, atraindo cada vez mais consumidores para seus novos eletrônicos.   Continuação...