Nokia proclama uma nova alvorada com celulares Windows

quarta-feira, 26 de outubro de 2011 12:38 BRST
 

Por Tarmo Virki e Georgina Prodhan

LONDRES (Reuters) - A Nokia mostrou dois novos celulares equipados com o sistema operacional Microsoft Windows, da Microsoft na quarta-feira, o primeiro passo em sua tentativa de recuperar o mercado perdido para a Apple e Google.

O Lumia 800, principal modelo da nova linha, e o Lumia 710, mais barato, chegarão aos principais mercados europeus na temporada de compras natalinas.

Ao examinar os primeiros frutos da grande aposta do presidente-executivo Stephen Elop no software da Microsoft, algo que incomodou os investidores no começo do ano, alguns analistas se declararam impressionados, mas outros continuam dizendo que a combinação entre as duas empresas está longe de desenvolver um celular capaz de destruir o iPhone.

"É um a nova alvorada para a Nokia", disse Elop a cerca de três mil clientes, parceiros, programadores, analistas e jornalistas reunidos em Londres para o aguardado lançamento, que aconteceu durante a conferência anual do grupo.

Ele disse que o design minimalista e os recursos de navegação superiores dos novos modelos farão com que se destaquem diante dos concorrentes, alguns dos quais levados ao mercado antes da Nokia e a nova plataforma da Microsoft para a telefonia móvel.

O Lumia 800, com cores vívidas e uma tela escura e curva, oferece ícones ativos na tela de entrada para atualizar automaticamente notícias, informações meteorológicas ou páginas de Facebook. Também oferece navegação livre e o novo navegador Internet Explorer 9.

O aparelho custará cerca de 420 euros (584 dólares), desconsiderados impostos e subsídios, o que o colocará na mesma faixa do novo iPhone da Apple e dos modelos mais caros na linha Galaxy da Samsung Electronics .

O Lumia 710 será vendido por cerca de 270 euros.

"Os dois modelos são um bom começo, mas a realidade é que são produtos bem básicos do Windows Phone," disse o diretor de pesquisa da CCS Insight, Ben Wood, uma companhia britânica de análise de telecomunicações.

"Os frutos reais da colaboração entre Nokia e Microsoft virão no ano que vem. Mas reconquistar o mercado capturado por Apple e Android continua a ser uma tarefa hercúlea," acrescentou.