Ericsson prevê margens menores e clientes cautelosos no 4o tri

quarta-feira, 9 de novembro de 2011 09:31 BRST
 

Por Patrick Lannin e Simon Johnson

ESTOCOLMO (Reuters) - A Ericsson, maior fabricante de equipamentos para rede móvel, mostrou cautela sobre o quarto trimestre ao afirmar que os novos negócios com margens menores prejudicarão sua rentabilidade.

Algumas das operadoras que são suas clientes também estão relutantes em liberar recursos por causa da crise econômica mundial, alertou a companhia nesta quarta-feira.

Em declarações sobre rentabilidade semelhantes às que fez sobre o terceiro trimestre, no mês passado, a Ericsson afirmou: "Todos os projetos de modernização que ganhamos deveriam ter começado no quarto trimestre de 2011. Isso, combinado com o impulso de crescimento em serviços, terá um efeito dilutivo na margem bruta. Além disso, a margem bruta do quarto trimestre é historicamente mais baixa".

O presidente-executivo, Hans Vestberg, também acredita que as taxas de crescimento vão variar de um ano para o outro.

"(...) como dito no relatório do terceiro trimestre, diante das incertezas econômicas em parte do mundo, a Ericsson não pode excluir certa cautela nos gastos das operadoras a curto prazo", acrescentou a companhia.

A Ericsson manteve a previsão para o segmento de equipamentos para rede móvel e disse que aumentou sua fatia de mercado.

"A previsão de mercado feita em maio de 2011 se mantém", afirmou a empresa, em referência à previsão de crescimento de 3 por cento a 5 por cento entre 2010 e 2013.

A companhia disse ter aumentado sua fatia de mercado em infraestrutura móvel de 32 por cento em maio para estimados 36 por cento, acrescentando que agora tem o dobro do tamanho da segunda maior do mercado. As maiores concorrentes da Ericsson são Huawei e Nokia Siemens Networks.