Alemã IPCom pede que varejistas parem de vender telefones da HTC

terça-feira, 6 de dezembro de 2011 18:00 BRST
 

Por Tarmo Virki, correspondente europeu de tecnologia

(Reuters) - A empresa de patentes IPCom informou nesta terça-feira ter pedido a grandes varejistas de telefones celulares que parem de vender o aparelhos da HTC, ameaçando tomar medidas legais já que a HTC não cumpriu uma determinação judicial para paralisar suas vendas.

A IPCom também recorreu à corte de Mannheim, pedindo para multar a HTC por não seguir a decisão tomada em 2009.

Possíveis multas da corte alemã podem custar milhões de euros e prejudicar a posição da HTC em um de seus principais mercados. A companhia vende cerca de 2 milhões de smartphones por ano na Alemanha, cerca de 4 a 5 por cento do total de suas vendas, segundo a empresa de pesquisas IDC.

Esta disputa destaca os crescentes riscos para a HTC, cujos aparelhos "descolados" levaram a companhia de um obscuro produtor terceirizado para uma marca global de telefones inteligentes. A companhia agora sofre com a queda nas vendas e uma grande briga judicial com a Apple.

No caso da Apple, a HTC enfrenta a possibilidade de uma decisão negativa da Comissão Internacional de Comércio dos EUA, que pode resolver na proibição da venda de seus smartphones nos EUA, um mercado que corresponde à metade de suas vendas. A decisão deve sair na próxima semana.

A corte de Mannheim decidiu em fevereiro de 2009 contra a HTC na briga judicial com a IPCom, permitindo uma liminar contra as vendas de telefones da HTC que utilizam tecnologia UMTS, e estabelecendo uma penalidade de até 250 mil euros para cada vez que a liminar for violada.

A HTC, que utiliza a UMTS para todos os seus aparelhos, retirou sua apelação contra a decisão de 2009 no mês passado, o que fez com que a decisão estivesse valendo.