Carta de advogada redesperta polêmica entre a HP e Hurd

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011 11:17 BRST
 

(Reuters) - Mark Hurd, antigo presidente-executivo da Hewlett-Packard, fez propostas românticas agressivas a uma prestadora de serviços à empresa durante muitos anos, e foi posteriormente acusado por ela de assédio sexual, de acordo com alegações contidas em uma carta da advogada que a representava, obtida pela Reuters.

A carta, sobre a qual pesava uma ordem de sigilo retirada recentemente, delineia em detalhes intrincados as acusações da estrela de TV e prestadora de serviços à HP Jodie Fisher de que Hurd a havia convidado para jantares românticos e depois supostamente solicitado favores sexuais em troca de trabalho.

Fisher contratou a advogada Gloria Allred, especialista no atendimento a celebridades, e esta enviou a carta a Hurd em junho de 2010, acusando-o de oferecer trabalho à sua cliente com intenções amorosas. A carta alega que Hurd tentou repetidamente "envolver" Fisher, convidando-a a subir ao seu quarto no hotel e beijando-a nos lábios, de acordo com uma cópia do texto fornecida por pessoa informada sobre a situação.

A carta é peça central em um escândalo que capturou a atenção do Vale do Silício em 2010 e culminou na demissão de Hurd, executivo popular junto a Wall Street e hoje presidente da Oracle, rival da HP. Hurd, a Oracle e até mesmo Fisher afirmaram que a carta de Allred continha imprecisões, ainda que não as especificassem.

Mas sua divulgação ameaça reacender o escândalo, enquanto Hurd tenta deixar o incidente para trás e se concentrar em seu novo posto na Oracle, onde uma de suas principais responsabilidades é vender sistemas de computação poderosos que concorrem com produtos da HP.

Hurd foi demitido da HP em 6 de agosto, depois que Fisher -que prestava serviço à empresa como hostess em eventos- o acusou de assédio sexual, alegação posteriormente descartada em uma investigação interna da empresa.

"É deplorável que o senhor tenha usado dinheiro da HP com o propósito de obter companhia feminina e romance, sob o disfarce de conduzir negócios da empresa", afirma a carta de Allred.

"Ela tinha de constantemente rejeitá-la, arranjar desculpas, se afastar ou simplesmente ir embora".

O texto da carta está disponível em r.reuters.com/fav75s.