Dell planeja lançar tablet no final de 2012

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 10:29 BRST
 

LAS VEGAS, 11 Jan (Reuters) - A Dell planeja lançar no varejo seu primeiro tablet no final de 2012, marcando a estreia da empresa em um mercado cada vez mais disputado no qual a rival Hewlett-Packard já admitiu derrota.

A companhia fundada por Michael Dell está assistindo ao crescente número de tablets e smartphones chegando ao mercado e roubando clientes que antes compravam computadores.

A Dell, entretanto, aprendeu com a rapidez das rivais e compreendeu melhor porque os consumidores consideram o "ecossistema" de um tablet tão importante quanto o hardware, disse o vice-presidente de comércio da empresa, Steve Felice.

A companhia, que vem registrando queda gradual nas vendas mundiais de computadores, já testou o mercado com o "Streak", um tablet voltado a empresas. Agora, planeja esforço mais amplo no mercado ao consumidor, disse Felice à Reuters durante a feira Consumer Electronics Show (CES), em Las Vegas.

Enquanto rivais como HP e Research in Motion lançavam diversos aparelhos com muito alarde, tentando concorrer diretamente com o iPad, da Apple, que domina o mercado, a Dell optou pela discrição, e com bons motivos, segundo Felice.

"Estamos trabalhando com calma. O fracasso de todos que tentaram lançar tablets, exceto a Apple, sugere que a escolha da Dell foi prudente", disse Felice. "Ingressaremos com mais força nesse mercado no final do ano. Ou seja, não estamos desconsiderando sua importância, mas sim tomando o maior cuidado para preparar nossa entrada".

"Quando o assunto era o computador pessoal, o foco das pessoas estava mais no hardware. Mas, quando se trata de tablets ou celulares inteligentes, as pessoas estão interessadas no ambiente mais amplo no qual os aparelhos operam", acrescentou. "À medida que amadurecemos nosso pensamento quanto a isso, passamos a dedicar mais tempo ao ecossistema".

Felice preferiu não dizer qual sistema operacional a Dell adotaria para enfrentar a Apple -o Windows 8 da Microsoft, que sairá este ano, ou o popular Android do Google-, afirmando que ambos são opções viáveis.

(Por Poornima Gupta)