Apple começa 2012 com ventos favoráveis e preço recorde de ação

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 10:11 BRST
 

SÃO FRANCISCO, 23 Jan (Reuters) - A Apple entrou em 2012 com ventos favoráveis, uma série de produtos de ponta no portfólio e preço recorde das ações.

Mas o sucesso da companhia -com aparelhos líderes de mercado como o iPad e o iPhone 4S, dotado de comando de voz- está atraindo rivais, que oferecem produtos a preços mais baixos.

O sistema operacional Android, que o Google lançou alguns anos atrás mirando o dispendioso Apple iOS, continua a atrair fabricantes de celulares. O Kindle Fire, da Amazon.com, cujo preço é 50 por cento menor que o do iPad, deve ter conquistado espaço no setor de preços mais baixos do mercado de tablet.

Muita gente em Wall Street, apostando que iPads e iPhones 4G e o serviço iTV voltarão a lotar as lojas da companhia, está apostando que as ações subirão para a casa dos 700 dólares, o que leva alguns observadores a questionar a sustentabilidade do ritmo escaldante de crescimento mantido pela Apple.

A Apple elevou em 43 bilhões de dólares o seu faturamento no ano fiscal de 2011, para 108,25 bilhões de dólares, 65 por cento acima do resultado do ano anterior.

Barry Jaruzelski, especialista em produtos eletrônicos de consumo e sócio da consultoria Booz & Co., disse que sustentar esse ritmo requereria o equivalente a criar uma nova companhia digna do ranking Fortune 500 a cada ano.

"Você se torna vítima de seu sucesso", disse. Será que os produtos existentes podem propiciar crescimento dessa ordem, ou você terá de criar uma nova categoria de produto que gere 10 bilhões a 20 bilhões de dólares em vendas? Esse é o desafio", disse.

Quando a Apple reportar resultados, em 24 de janeiro, muitos investidores estarão pela primeira vez em busca de fendas em sua armadura, especialmente porque, no trimestre de outubro, a empresa ficou abaixo de suas projeções pela primeira vez desde 2004.

"O risco é quanto à sustentabilidade conseguindo", disse Brian Marshall, analista do ISI Group. "Eles projetaram números altos, e a questão é determinar se conseguirão continuar ampexistente de produtos e a esse nível de preço", acre.

O medo é que o número de pessoas capacusto de um iPad ou iPhone esteja se reduzindo, acrescentou.

(Por Poornima Gupta)