Presidente da AMD prepara empresa para batalha no segmento móvel

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 10:30 BRST
 

SUNNYVALE, Califórnia, 3 Fev (Reuters) - O novo presidente-executivo da Advanced Micro Devices fez uma apresentação entusiástica, em sua primeira conversa com analistas de Wall Street, afirmando que a deficitária fabricante de chips está "em condição de combate" no segmento de computadores, que vem passando por rápidas mudanças.

Foi a primeira reunião entre o comando da AMD e analistas desde 2010, e Rory Read anunciou que a companhia aproveitará a tecnologia que desenvolveu para computadores a fim de ingressar no crescente setor de tablets, assim como em mercados emergentes, mas que não tentará entrar no segmento de smartphones.

"Vamos concentrar esforços em clientes e mobilidade... Não estou sugerindo que pretendemos mergulhar nos celulares inteligentes, um espaço bastante lotado e com margens baixas... Vou me concentrar na mobilidade de clientes, em produtos leves e finos", disse Read.

Ele fez menção negativa ao domínio histórico do mercado de chips para computadores pela Intel, e disse que a ascensão dos tablets e outros aparelhos móveis, setor no qual a Intel até o momento não vem demonstrando força, abre novas oportunidades para que outras companhias, entre as quais a AMD, inovem.

"Veremos uma quebra do controle de sistemas fechados, dos pontos de controle que dominam o nosso setor há anos e anos", disse o executivo.

Read assumiu o comando da fabricante de chips em agosto, depois de uma longa busca por um sucessor para o presidente-executivo Dirk Meyer, que renunciou por discordar do conselho da AMD quanto à falta de progresso da empresa na produção de chips para aparelhos móveis cada vez mais populares, a exemplo dos smartphones e tablets.

Falando com gestos largos e a energia de um guru de autoajuda, Read disse que o foco da AMD serão as oportunidades oferecidas pela computação em nuvem e a crescente demanda de países em desenvolvimento como a China por computadores e outros aparelhos de baixo custo.

Com problemas na produção do chip de 32 nanômetros recentemente lançado, Read anunciou em novembro que a AMD demitiria 10 por cento de seus funcionários, para reduzir os custos operacionais anuais em 200 milhões de dólares.

(Por Noel Randewich)