Olympus antecipa prejuízo líquido anual de US$410 mi

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012 11:06 BRST
 

TÓQUIO, 13 Fev (Reuters) - A Olympus, companhia japonesa abalada por escândalo contábil, estimou nesta segunda-feira prejuízo líquido de 410 milhões de dólares para o atual ano fiscal, em larga medida devido às problemáticas operações de câmeras fotográficas.

A força da divisão de endoscópios, entretanto, sugere que o principal negócio da empresa escapará do fiasco, enquanto o presidente afirmou que a empresa pode tentar ir adiante sozinha, sem buscar capital externo.

A fabricante de câmeras e equipamento médico vem considerando ofertas de aliança com o objetivo de remediar sua situação financeira, depois que um escândalo contábil de 1,7 bilhão de dólares reduziu severamente seus ativos. Sony, Fujifilm, Terumo e a sul-coreana Samsung Electronics aparentemente estão entre os interessados.

"Dada a natureza das operações de endoscópios, a concorrência é limitada e o escândalo não teve impacto muito grande sobre o negócio", disse Yasuo Sakuma, administrador de fundos na Bayview Asset.

"A questão é determinar a agressividade dos potenciais interessados. A Sony pode se provar a mais agressiva, porque seu novo presidente-executivo (Kazuo Hirai) declarou explicitamente que os serviços médicos serão o novo foco da companhia. A Fujifilm pode relutar mais porque uma aliança talvez lhe cause problemas antitruste", disse.

Shuichi Takayama, presidente da Olympus, reiterou na segunda-feira que qualquer decisão sobre uma parceria terá de esperar a posse de um novo comando executivo, depois da assembleia anual de acionistas da companhia, em abril, e acrescentou que seguir adiante sem obter capital adicional também é uma opção.

"Creio que seja uma possibilidade", disse Takayama a jornalistas, quando questionado se não receber uma injeção de capital e seguir adiante de modo independente, pelo acúmulo de lucros, era uma possibilidade para a companhia.

A Olympus antecipou prejuízo líquido de 32 bilhões de ienes (412 milhões de dólares) para o ano fiscal que se encerra em 31 de março, devido a problemas em sua debilitada divisão de câmeras e a correções de valores de ativos por motivos tributários.

A previsão se compara a lucro líquido de 3,87 bilhões de ienes no ano fiscal anterior e a uma projeção antes do escândalo de 18 bilhões de ienes de lucro.

No terceiro trimestre fiscal, a Olympus, que detém 70 por cento do mercado mundial de endoscópios, reportou prejuízo líquido de 756 milhões de ienes, ante lucro de 2,04 bilhões de ienes no mesmo período em 2010.

(Por Chris Gallagher e James Topham)