Consultoria critica estrutura de ações do Facebook

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012 15:11 BRST
 

(Reuters) - O Facebook diminui os direitos dos acionistas com a sua estrutura dupla de classe de ações e limita a responsabilidade do seu conselho de administração perante os investidores, afirmou nesta segunda-feira a consultoria Institutional Shareholder Services.

A crítica da governança corporativa do Facebook aparece no momento em que a rede social registrou pedido de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), em 1o de fevereiro.

Estruturas de governança corporativa como a do Facebook - similar à da Zynga ou do LinkedIn - irão limitar os direitos dos acionistas e causar problemas se a companhia decidir em algum momento mudar sua estrutura, disse o ISS em um relatório de quatro páginas.

O fundador e presidente-executivo, Mark Zuckerberg, irá controlar cerca de 57 por cento das ações com direito a voto depois do IPO.

O Facebook também criou uma série de defesas contra disputas por procuração e tentativas indesejáveis de aquisição, de acordo com a apresentação enviada à Securities and Exchange Commission (SEC), nos Estados Unidos.

O ISS argumentou que ao estabelecer uma estrutura de classes dupla no início, na qual Zuckerberg detém ações com 10 votos cada, divide "os interesses dos controladores em potenciais grupos de oposição", o que poderia acabar resultando em disputas, apesar dos mecanismos de defesa criados.

Um porta-voz do Facebook não comentou imediatamente o assunto nesta segunda-feira.

(Por Liana B. Baker)