Empresas de tecnologia dos EUA planejam IPO neste ano--fontes

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012 16:16 BRST
 

Por Nadia Damouni

NOVA YORK, 22 Fev (Reuters) - Diversas companhias de tecnologia, incluindo a desenvolvedora de software de segurança Palo Alto Networks, estão se preparando para abrir o capital na sombra da operação do Facebook, sentindo uma janela de oportunidade com a retomada do mercado acionário.

A fabricante de programas de gerenciamento ServiceNow, a fornecedora o software de recursos humanos Workday, a empresa de dados Splunk e a fabricante de memória flash Violin Memory também estão em estágios variados de planejar uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) neste ano, disseram fontes familiares com o assunto.

Estas companhias têm valor esperado de 1 bilhão de dólares ou mais, disseram as fontes.

A Palo Alto Networks, maior das empresas mencionadas, deve começar o processo de escolher os bancos envolvidos nesta semana para subscrever seu IPO, enquanto a ServiceNow escolheu o Morgan Stanley e o Goldman Sachs para liderar sua oferta, relataram as fontes. Ambas as companhias miram uma emissão no primeiro semestre deste ano, segundo as fontes.

A Workday já traçou uma lista de bancos, disseram as fontes, mas os nomes das instituições não foram revelados. A Violin está em conversas preliminares com bancos sobre um potencial pedido de emissão neste ano, segundo forte.

A Splunk já fez o pedido ao regulador norte-americano SEC, com Morgan Stanley, Credit Suisse, JPMorgan Chase e Bank of America Merrill Lynch, liderando a oferta.

A Palo Alto Networks e a Workday se recusaram a comentar. ServiceNow, Splunk, Violin, Goldman e Morgan Stanley não estavam imediatamente disponíveis para comentários.

Os planos de IPO acontecem após o plano do Facebook de abrir o capital em uma emissão avaliada em 5 bilhões de dólares, e das transações do LinkedIn e do Groupon, mesmo em meio a turbulências no mercado nos últimos meses devido à crise de dívida europeia e de incertezas econômicas globais.

(Por Nadia Damouni)