Vivendi se prepara para dois anos difíceis e corta dividendo

quinta-feira, 1 de março de 2012 08:07 BRT
 

PARIS, 1 Mar (Reuters) - A Vivendi, maior grupo de telecomunicações e entretenimento da Europa, cortou dividendo em antecipação a dois anos de dificuldades em que o lucro não vai crescer em meio a um ambiente de concorrência mais acirrada no mercado francês de telefonia móvel.

Os comentários do grupo ecoam medidas tomadas por France Telecom, Telefónica e Telecom Italia, que enfrentam uma combinação dura de pressão regulatória, competição ferrenha e gastos com atualização de redes.

O mercado doméstico da Vivendi está sendo afetado por uma guerra de preços depois que o novo competidor Iliad lançou ofertas de telefonia móvel ultrabaratas em meados de janeiro.

O presidente-executivo da Vivendi, Jean-Bernard Levy, afirmou que o lucro líquido ajustado do grupo vai cair para a casa dos 2,5 bilhões de euros neste ano ante o recorde de 2,95 bilhões de euros (4 bilhões de dólares) do ano passado. Ele afirmou que 2013 também será difícil, com crescimento de lucratividade sendo retomado apenas em 2014.

A Vivendi obteve um crescimento de 9,4 por cento no lucro líquido ajustado em 2011, ajudada pelas unidades GVT, no Brasil, e Activision Blizzard, de videogames.

A companhia informou que vai reduzir o dividendo pago a investidores sobre os resultados do ano passado para 1 euro por ação ante 1,40 euro um ano antes. Os acionistas também receberão uma ação para cada 30 que possuírem.

A receita do grupo subiu 0,5 por cento no ano passado, para 28,8 bilhões de euros.

(Por James Regan)