Corte alemã encerra 2 processos de patente entre Apple e Samsung

sexta-feira, 2 de março de 2012 10:41 BRT
 

MANNHEIM, Alemanha, 2 Mar (Reuters) - Um tribunal alemão encerrou na sexta-feira dois processos que Apple e Samsung Electronics apresentaram uma contra a outra, como parte de sua batalha mundial pelo domínio no mercado de celulares inteligentes e tablets.

A decisão de um tribunal regional de Mannheim envolvia alegações da Apple de que a Samsung havia violado sua tecnologia de deslizamento na tela para travar e destravar o aparelho, bem como alegações da Samsung de que a Apple teria violado uma das três patentes que constam de sua queixa.

Os dois processos eram parte da onda de disputa de patentes que está tomando os tribunais da Alemanha e de outros países do mundo, como resultado da disputa entre os fabricantes de celulares inteligentes e tablets por um mercado que vale bilhões de dólares.

O tribunal em Mannheim já tinha decidido contra a Samsung com relação às duas outras patentes que constavam de sua queixa, em janeiro, e restam processos relativos a quatro outras patentes da Samsung e a diversas patentes da Apple ainda pendentes de julgamento.

O tribunal deve anunciar até 16 de março sua decisão sobre outro processo da Apple contra a Samsung por uso supostamente indevido da tecnologia de deslizamento para destravar aparelhos.

A Samsung anunciou em comunicado na sexta-feira que recebia positivamente a decisão do tribunal quanto a descartar as alegações da Apple, o que segundo a empresa confirma sua posição de que a linha Galaxy é distintiva e não viola a propriedade intelectual da Apple.

A Apple não comentou de imediato.

O primeiro processo da Apple contra a Samsung surgiu em abril de 2011, com a alegação de que a fabricante da linha Galaxy de tablets e celulares inteligentes havia copiado "descaradamente" os modelos iPhone e iPad, da Apple.

A Samsung também se declarou decepcionada por o tribunal ter encerrado seu processo contra a Apple, que envolvia patentes essenciais ao uso de telefonia 3G/UMTS, e anunciou que recorreria da decisão junto ao tribunal regional de segunda instância, em Karlsruhe.

(Por Maria Sheahan)