Grupo de escritores chineses processa Apple, diz mídia estatal

domingo, 18 de março de 2012 11:17 BRT
 

PEQUIM, 18 Mar (Reuters) - Um grupo de 22 autores chineses registrou um processo contra o grupo de tecnologia Apple, alegando que sua loja online de aplicativos vende cópias não licenciadas de seus livros, disse a mídia estatal chinesa neste domingo.

O grupo, a União dos Direitos de Autores, exigiu no ano passado que a Apple abandonasse a distribuição eletrônica dos livros dos escritores e havia antes persuadido a Baidu, maior ferramenta de busca da China, a parar de publicar o material em seu produto Baidu Library.

Os escritores buscam uma compensação de 50 milhões de iuanes (8 milhões de dólares) da Apple, dizendo que a empresa vendia versões pirateadas de 95 livros por meio de sua loja online, reportou a Xinhua, sem dizer onde a reclamação foi registrada.

"Como donos de propriedade intelectual, entendemos a importância de protegê-la, e quando recebemos reclamações, respondemos de maneira rápida e apropriada", disse uma porta-voz da Apple, Carolyn Wu.

A União dos Direitos de Autores não pode ser contatada para comentar. Empresas estrangeiras reclamam há anos sobre a má fiscalização de regras de propriedade intelectual na China, e um número crescente de titulares de direitos autorais chineses estão agora pressionado por mais proteção.

O processo se soma à lista de problemas da Apple na China.

A empresa de tecnologia mais valiosa do mundo está envolvida em um processo duradouro com a empresa chinesa Proview Technology, que está lutando pelo controle da marca registrada do iPad no país.

Além disso, a Apple tenta negar as alegações de más condições de trabalho entre seus fornecedores a baixo custo na China.

(Reportagem por Don Durfee)