ENTREVISTA-Symantec eleva aposta no Brasil; vê alta da receita

quinta-feira, 22 de março de 2012 16:26 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO, 22 Mar (Reuters) - A produtora de softwares para segurança e gestão de informação Symantec está reforçando sua aposta no mercado brasileiro, em um momento em que o fluxo de dados gerado por empresas e organizações governamentais dispara junto com ameaças a sistemas de informações.

A companhia estima crescimento de dois dígitos no faturamento no Brasil em 2012 e nos anos seguintes, após ter registrado receitas de cerca de 100 milhões de dólares no país em 2011, afirmou nesta quinta-feira o vice-presidente sênior para as Américas da Symantec Corporation, Rich Spring, em entrevista à Reuters.

"O Brasil é um dos principais mercados em crescimento para nós hoje e o principal da América Latina. Continuamos a investir pesado em oportunidades nos setores de telecomunicações, serviços financeiros, saúde e centros de processamento de dados", disse Spring, citando ainda a área governamental.

Segundo ele, em 2011, 78 por cento das grandes empresas do país teve algum problema de segurança em seus sistemas de informação, num crescimento de 8 a 9 por cento sobre o registrado em 2010. Além disso, 74 por cento dos emails que circularam pelo país se trataram de spam.

"Há muito investimento ocorrendo no Brasil. Por exemplo, no setor de infraestrutura, o investimento que precisa ser feito é o mesmo que precisa ser feito em termos de tecnologia", afirmou Spring, citando a realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016.

"As corporações estão lidando com uma explosão de dados que precisam ser protegidos em um momento em que 67 por cento delas estão movendo aplicações para dispositivos móveis (como celulares)."

Uma das apostas da companhia, que mantém sete escritórios no Brasil, é ampliar a gama de parcerias com fornecedores de serviços -como operadoras de telefonia e centros de processamento de dados como a mineira Ativas, e também produtos oferecidos no país, o que inclui equipamentos para funções como backup de dados de empresas, cujos preços começam em 15 mil dólares.

Segundo ele, na área de equipamentos a empresa está avaliando "oportunidades" de desenvolvimentos de negócios no Brasil, incluindo possibilidade de produção local. A área, nos Estados Unidos, apresenta taxas de crescimento anual de vendas de 50 a 70 por cento, nível que pode ser atingido também no Brasil, disse Spring. Atualmente os equipamentos são produzidos nos EUA.

Eventuais aquisições de empresas no Brasil também não estão descartadas, comentou o executivo, citando que o objetivo é melhorar o portfólio de produtos e tecnologias do grupo na área de soluções.

"A Symantec é uma empresa muito aquisitiva... Estamos sempre olhando para aquisições e temos olhado para o mercado brasileiro especificamente também, porque acreditamos que é um mercado fantástico para a Symantec."