Credicard quer 20% do comércio eletrônico em 3 anos

terça-feira, 27 de março de 2012 15:35 BRT
 

SÃO PAULO, 27 Mar (Reuters) - A Credicard lançou nesta terça-feira um portal de comércio eletrônico por meio do qual espera alcançar uma fatia de 20 por cento no faturamento do setor no Brasil até 2015.

O projeto, batizado de Shopping Credicard, tem na saída uma parceria exclusiva com a varejista online Comprafacil.com e dá a portadores de cartões Credicard e Dinners Clubs acesso, com desconto, a cerca de 50 mil produtos, incluindo artigos esportivos, de perfumaria, ferramentas e produtos para bebês.

A meta é que a parceria seja responsável por 5 por cento da receita de 4 bilhões de reais esperada pela Credicard para este ano, incluindo o percentual das vendas de lojistas e a comercialização de anúncios no portal.

"É o primeiro shopping center virtual do país", disse a jornalistas o presidente da Credicard, Leonel Andrade, explicando que o portal diferencia-se dos demais por reunir diferentes lojas em um mesmo ambiente, mas permite que as compras sejam feitas como se fossem uma só.

Controlada pelo Citibank, a administradora afirma ter tido receita de 3,1 bilhões de reais oriundas de compras via Internet. Agora, a Credicard quer gradualmente concentrar no portal as operações feitas por seus 7 milhões de clientes de cartões, para os quais também passará a oferecer no ano que vem produtos financeiros do Citi, como seguros e linhas de crédito.

Antes disso, o portal será aberto a donos de cartões de outras bandeiras, e a oferta de produtos também deve ser incrementada, incluindo venda de ingressos para shows, entre outros. O desconto de 10 por cento nas compras, contudo, seguirá restrito para clientes do grupo Credicard.

Mais cedo neste mês, a e-bit, consultoria especializada em comércio eletrônico, estimou que as vendas via Internet devem registrar crescimento de 25 por cento em 2012, movimentando 23,4 bilhões de reais.

A iniciativa chega ao mercado num momento turbulento para a B2W, a maior empresa do setor no país, cujos problemas de logística vêm provocando repetidas quedas nas margens. No começo do mês, a companhia, que reúne os portais Submarino, Americanas.com e Shoptime, reportou prejuízo de 28,8 milhões de reais para o quarto trimestre de 2011.

Segundo o diretor de marketing da Comprafacil.com, Leandro Siqueira, a companhia percebeu que a logística tem sido um fator cada vez mais importante na relação com consumidores. Por isso, no ano passado a empresa aumentou em 70 por cento o número de transportadoras terceirizadas para entregas.   Continuação...