Consultoria aconselha que acionistas rejeitem contas da Olympus

terça-feira, 10 de abril de 2012 10:59 BRT
 

TÓQUIO, 10 Abr (Reuters) - Uma grande consultoria internacional pediu que investidores japoneses da Olympus, cuja imagem foi abalada recentemente por um sério escândalo, se recusem a aceitar as contas recentemente retificadas da empresa, e sugeriu que votem contra os dois homens selecionados para recuperá-la.

A ISS Proxy Advisory Services fez as recomendações antes da assembleia extraordinária de acionistas marcada para 20 de abril, quando a fabricante de câmeras e equipamento médico vai tentar deixar para trás a fraude de 1,7 bilhões de dólares que ameaçou causar sua quebra.

A ISS apontou para o fato de que a fraude ainda está sob investigação oficial e alertou os acionistas que eles poderiam colocar em risco a possibilidade de processar a Olympus no futuro caso votassem aceitar as contas corrigidas, em assembleia.

"Apoiar essa resolução representa endossar os resultados financeiros divulgados pela companhia, e não seria apropriado em um momento no qual as constatações das investigações das autoridades ainda não estão disponíveis", afirmou a organização em um relatório datado de 6 de abril.

"Não se pode prever o que acontecerá com a Olympus, a depender do resultado das investigações agora em curso pelas autoridades", acrescentou a ISS.

"Dadas as circunstâncias incomuns em que a companhia vive, não seria aconselhável que os acionistas apoiassem essa proposta, que poderia interferir com sua capacidade para processar a empresa caso informações ainda não reveladas venham a provar que as contas estão incorretas", alegou a consultoria.

A ISS também recomendou que os acionistas se oponham à indicação de Hiroyuki Sasa para a presidência da empresa e Yasuyuki Kimoto para a presidência do conselho, afirmando que o primeiro não tinha as qualificações ideais para o posto e o segundo tinha elos fortes demais com o Sumitomo Mitsui Banking (SMBC), um dos maiores credores da Olympus.

A consultoria afirmou que era provável que Kimoto e outro membro do conselho, Hideaki Fujizuka, que tem ligações com outro grande credor da Olympus, o Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ (BTMU), provavelmente defenderiam antes os interesses dos bancos que os dos acionistas comuns.

(Por Chikafumi Hodo e Yoko Kubota)