Investidores estão perdendo a esperança na recuperação da Nokia

quinta-feira, 12 de abril de 2012 12:44 BRT
 

Por Tarmo Virki

SÃO PAULO, 12 Abr (Reuters) - A Nokia tem reservas de caixa para sobreviver a sete trimestres como o passado, mas os investidores estão perdendo a fé na capacidade da problemática fabricante de celulares para romper o círculo vicioso que mantém os consumidores e os criadores de aplicativos afastados de seus novos modelos.

O presidente-executivo Stephen Elop, que veio da Microsoft em 2010, apostou no ano passado que abandonar o sistema operacional próprio da Nokia, o Symbian, em troca de uma versão ainda não testada de um produto de seu antigo empregador recolocaria a empresa em posição de liderança.

Na quarta-feira, a companhia alertou que pode sofrer prejuízo nos dois primeiros trimestres do ano, com o colapso da demanda pelos moribundos modelos Symbian, enquanto as vendas dos novos modelos equipados com o Windows Phone estão muito distantes de compensar a queda.

O mercado se assustou quando Elop anunciou a decisão, e as ações da empresa levaram novo tombo com os alertas de prejuízo. Os investidores que mantiveram as ações ao longo da arrepiante jornada de um ano perderam dois terços do investimento. Na quinta-feira, as ações da empresa registravam queda de sete por cento, depois de terem caído 15 por cento no dia anterior.

A despeito de lançar os novos modelos equipados com o Windows Phone em velocidade estonteante, as vendas desses aparelhos ficaram abaixo do esperado pela Nokia, já que os consumidores continuam leais ao iPhone da Apple e aos modelos Samsung equipados com o sistema Google Android, celulares que oferecem uma gama mais ampla de aplicativos, formados por um grupo maior de desenvolvedores.

"É cedo para declarar o óbito da Nokia", disse o analista Peter Cunningham, da Canalys. "A empresa ainda está no meio da transição para o Windows Phone, mas não tem tempo a perder. Os próximos seis meses serão cruciais para seu futuro de longo prazo. O Lumia 610 precisa ser um sucesso, e ela necessita de produtos de sucesso em tempo para o Natal".